Visita de estudo à Fundação Cupertino de Miranda

Hoje, fomos visitar a Fundação Cupertino de Miranda em Vila Nova de Famalicão.
Vimos uma exposição de João Rodrigues(1937-1967) que dedicou-se sobretudo ao desenho em papel, utilizando grafite, marcador ou tinta-de-china são as suas armas preferidas para retratar algumas cenas.
Na Fundação Cupertino de Miranda existem muitos quadros de autores ligados ao surrealismo português, tais como Carlos Calvet, Carlos Eurico da Costa, Cruzeiro Seixas, Eurico Gonçalves, Júlio dos Reis Pereira, Manuel D'Assumpção, Mário Botas, Mário Cesariny, Mário Henrique Leiria, Pedro Oom, Risques Pereira e outros.O Museu conta no seu acervo, datado maioritariamente do século XX, com uma importante colecção de objectos de arte, composta essencialmente por artistas surrealistas, mais especificamente do Surrealismo português, e é proveniente de doações e aquisições, de que se destacam as colecções de Cruzeiro Seixas, Mário Cesariny e Eurico Gonçalves.
Gostamos muito da visita de estudo à Fundação Cupertino de Miranda.

Dias antes da visita à Fundação Cupertino de Miranda, a Drª Sandra foi à nossa sala de aula falar da Fundação e dos seus fundadores. Mostrou imagens e podemos fazer-lhe perguntas.





Um pouco de história.

A Fundação Cupertino de Miranda, com sede em Vila Nova de Famalicão, foi instituída por iniciativa de Arthur Cupertino de Miranda (1892-1988) e sua esposa, D. Elzira Celeste Maya de Sá Cupertino de Miranda, que à mesma afectaram bens pessoais e a constituíram por estatutos de 15 de Agosto de 1963. O casal legou uma parte dos seus bens pessoais, onde se incluía um conjunto de acções representativas de 5% do capital social do Banco Português do Atlântico, perspectivando a criação de uma instituição de fomento cultural e de apoio a situações de carência económica.
É uma instituição particular de solidariedade social, reconhecida de utilidade pública e sem quaisquer fins lucrativos, que prossegue objectivos de carácter cultural e social. A ideia que presidiu à criação da Fundação e os objectivos, que estatutariamente tem em vista, estão consubstanciados nas primeiras palavras de um autógrafo do Fundador, reproduzido num painel de azulejos presente na entrada do Museu: "Templo de Arte, de Cultura e de Bondade, seja, na minha terra Natal: Louvor ao Trabalho, Honra ao Saber, Hino ao Amor, Testemunho do meu devotamento a este Povo. Arthur Cupertino de Miranda, 1970." Foi dotada de um museu, de uma biblioteca e de um auditório, de forma a desenvolver actividades de promoção e divulgação de iniciativas culturais nas diferentes áreas de expressão.
Foi inaugurada oficialmente a 8 de Dezembro de 1972.
A actividade da Fundação, na sua vertente cultural, tem-se evidenciado através do apoio que a sua valiosa Biblioteca presta à comunidade bem como na programação sistemática no sector das artes plásticas. Neste âmbito, podem ser apreciadas no seu Museu, com carácter de exposição permanente, obras do acervo da Fundação e ainda outras exposições com maior relevância mas com carácter temporário. No campo assistencial, dá apoio a diversos Organismos e Instituições como ao Projecto Homem, em Braga, programa terapêutico de reabilitação e reinserção social de toxicodependentes. Dá também apoio à família e a cidadãos carenciados.
A 30 de Junho de 1997, a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão atribuiu a Medalha de Honra do Município à Fundação Cupertino de Miranda.
3.º ano T:10

2 comentários:

˙·٠•●♥ Silvia Rossine˙·٠•●♥ disse...

Olá querida Georgina estou passando para deixar meu carinho e desejar uma ótima semana . Beijos
Silvia Rossine

BC disse...

Passei para ver como andavam as letrinhas, há muito que não aparece._______________

A porta está aberta.______________
Beijinhos para todo vós
Isabel