OUTONO







Poema de Outono

O vento soprou
Tão doce e sereno
Tocou-me ao de leve
Girou sentimentos
Dormentes, silentes
Que em voo rasante
Tocaram o chão.
O fundo da alma
fez-se de cor de ouro
Castanho ou laranja
Deu frutos já secos
De um doce amargo
Surgiu o Outono
No meu coração.


LIQUE ( 2004)

1 comentários:

Ana Machado disse...

Boa noite à professora Georgina e a todos os seus alunos.
Gosto muito de visitar o vosso blogue e hoje decidi deixar uma mensagem de parabéns para todos.
Também gostava de vos dizer que sou professora do primeiro ciclo e também criei um blogue com os meus alunos.
Bj
AnaMachado